Otto Maria Carpeaux, o esquecido

 

A matéria do jornal O Globo publicada em fevereiro de 1978 destaca o bilhete deixado por Carlos Drummond de Andrade para Otto Maria Carpeaux, internado no Centro de Tratamento Intensivo da Clínica Pró Cardíaco, no Rio de Janeiro:

-Fique bem depressa. Você é indispensável. Abraço Fraternal.

Carpeaux não seguiu as recomendações e morreu no dia 3 de fevereiro, há exatos 40 anos.

A data passou tão batida quanto a obra de Carpeaux vem sendo esquecida.

Para conhecer a dimensão de Otto Maria Carpeaux basta um único livro – dos muitos que ele escreveu: História da Literatura Ocidental.

Pela amplitude do tema, percebe-se que o homem não era de brincadeira.

Eu, particularmente, sou fã de carteirinha de Uma Nova História da Música.

Mas tem mais, muito mais, no baú empoeirado deste austríaco fenomenal que preferiu o Brasil.

Um segredo: a edição completa de História da Literatura Ocidental pode ser baixada gratuita e legalmente, em PDF, na Livraria do Senado.

O link é http://livraria.senado.leg.br/historia-da-literatura-ociden….

Como diria Drummond, indispensável.

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *